Elos Clube de Tavira

Julho 05 2010

 

 

Fácil será ao Visitante deste blog encontrar a referência (a que o Servidor chama tag) “17 hospitais” sendo que logo no primeiro texto, publicado em 12 de Fevereiro de 2010 (ver em http://elosclubetavira.blogs.sapo.pt/1414.html), todos os estabelecimentos são identificados pela localização e ano de instituição. Trata-se da cadeia hospitalar de apoio aos mareantes na rota entre Tavira e Goa.

 

Seguem-se outros textos em que se descreve resumidamente o que nos foi possível apurar sobre alguns desses hospitais. De qualquer modo, as investigações estão longe da conclusão e, portanto, prevalece a abertura de espírito para a obtenção de novos dados. E o melhor é desde já aqui deixar o convite a todos os Leitores que nos queiram ajudar no trabalho de investigação histórica quer comentando os textos já publicados quer oferecendo textos novos.

 

 

Igreja de S. José do Hospital- Portugal por jmsbastos.

  Hospital do Espírito Santo - Tavira

(reconstruido após terremoto no séc. XVIII)

http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://farm3.static.flickr.com/2182/2480343396_b8f71db031.jpg&imgrefurl=http://flickr.com/photos/9480263%40N02/2480343396/&usg=__AUXSZNP-uRq_xaj5v7NB4Ha93C8=&h=500&w=375&sz=114&hl=pt-BR&start=16&um=1&itbs=1&tbnid=hKLgcWscMQI_3M:&tbnh=130&tbnw=98&prev=/images%3Fq%3DIgreja%252Bde%252BS.%252BJos%25C3%25A9%252Bde%252BTavira%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DG%26rlz%3D1T4SUNA_enPT292PT293%26tbs%3Disch:1

 

Assim, começo por registar uma curiosa coincidência entre o primeiro elo desta cadeia, Tavira e o último, Goa: ambos os hospitais foram instituídos em data incerta sendo sabido que em 1430 o Hospital do Espírito Santo, em Tavira, já existia por transformação da hospedaria que se sabe ter sido fundada em 1425 pelos frades da Ordem da Santíssima Trindade; a primeira referência ao Hospital de Goa actualmente conhecida data de 1512 quando D. Afonso de Albuquerque mandou dele expulsar os asilados que ocupavam camas destinadas aos enfermos.

 

Tomando em consideração estas incertezas, podemos imaginar o esforço logístico necessário à instalação de 17 hospitais com a agravante de que muitos deles, por conveniência dos mareantes, tiveram que ser implantados em locais inóspitos.

 

Dir-se-á que os hospitais de então não tinham a complexidade dos actuais e que o esforço era, portanto, menor do que o homólogo na actualidade. É óbvio que sim mas também a operacionalidade dos meios de transporte não era comparável à actual, os processos de embalagem e conservação de medicamentos diferem abissalmente mas isso não significa que nos séculos XV e XVI a multiplicidade de unguentos e outras mezinhas não colocasse tantos ou mais problemas logísticos do que os exigidos por uma farmácia hospitalar do séc. XXI que uma boa arca frigorífica por certo acondiciona com menores problemas de transporte e manuseamento.

 

Pergunto: teríamos hoje a capacidade (não refiro a vontade política) necessária à instalação de 17 hospitais (mesmo dos de campanha) em locais tão diversos como estes?

 

1430 – Tavira

1486 – Safim

1497 – Ilha de Santiago

1498 – S. Jorge da Mina

1504 – São Tomé

1505 – Agadir

1505 – Cochim

1505 – Quilôa

1505 – Sofala

1506 – Cananor

1507 – Ilha de Moçambique

1510 – Bahia

1511 – Melinde

1512 – Baçaim

1512 - Goa

1516 - Arzila

1516 – Tânger

 

Foram 86 anos fantásticos que nos fazem hoje meditar sobre o que andamos por cá a fazer para além de meros consumidores de oxigénio.

 

Mas se não está na nossa mão retomar a assistência sanitária nesses locais, tentemos ao menos neles estabelecer contactos de modo a formarmos uma corrente de 17 Elos de inspiração lusíada que ligue Portugal, África, Brasil e Índia.

 

Quem nos acompanha na missão?

 

Henrique Salles da Fonseca

publicado por Henrique Salles da Fonseca às 17:05

mais sobre mim
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

HOSPITALIDADE LUSÍADA

pesquisar
 
blogs SAPO