Elos Clube de Tavira

Janeiro 11 2011

 Maria José Guerreiro

Maria José Guerreiro Pinheiro

 

A Tavira

 

Quis separar as letras do teu nome,

Achei tão curioso e divertido…

Imaginar que cada uma tome,

Na sua independência, um bom sentido!

 

O “T” é de Trabalho, é de Ternura…

Que fazem muita falta a toda a gente;

Calmantes são de tanta desventura,

Na senda deste mundo indiferente…

 

O “A” é uma letra repetida,

Que pressupõe Amigo e Alegria;

Prelúdio do Amor, o rei da vida,

Que sem ele não pode ter valia.

 

O “V” é de Verdade e de Valor,

Alicerces bem fortes, preciosos,

Sem eles faltarão brilho e cor,

Não vingarão momentos gloriosos!

 

Com “I” s’escreve Irmão, Inteligência,

Idílio, Ideia, Igreja, Idoso, Inverno,

Também a Igualdade e Indulgência,

Sem os quais o mundo é um inferno.

 

Com “R” eu principio alegre “Riso”

Tempero dum viver bem desgastante;

Sorrir é salutar e tão preciso,

É comunicação contagiante.

 

Tavira, tudo isto tens em ti!

Cultiva sempre a flor da lealdade.

Há um pedido em tudo o qu’escrevi:

Não troques a modéstia p’la vaidade!

 

(3º. Prémio dos VI Jogos Florais do Elos C. de Tavira/1992, Modalidade Poesia dedicada a Tavira) _

 

_____________________

 

Maria José Guerreiro Pinheiro (nascida em 1940, na Freguesia de S. Clemente, concelho de Loulé e falecida em Tavira em Setembro de 1998).

 

Fez o curso liceal, matriculando-se depois na Escola do Magistério de Faro, onde obteve o grau de Professora do Ensino Básico. Depois de várias colocações por toda a Província, acabou por se radicar em Tavira onde leccionou durante os últimos anos da sua carreira profissional.

 

Era casada e teve uma filha, também ela Professora.

 

Acompanhando o seu percurso no Ensino, dedicou-se à poesia que cultivou com determinação e muito empenho, concorrendo a todos os certames literários de que tinha conhecimento, mantendo com outros poetas de Tavira, tertúlias muito interessantes pela troca de ideias em espírito comum, na constante procura pela rima mais correcta e a mensagem mais sensibilizante.

 

Nas tardes de terça-feira, a Rádio Gilão, sediada em Tavira, apoiava estes encontros com os vários cultores das artes da rima, em programa transmitido em directo, com geral agrado do público.

 

Maria José Pinheiro foi uma das participantes activas desse programa radiofónica, mesmo quando a doença já a tinha minado – e ela conhecia o seu estado de saúde – continuando também a produzir poesia, a editar livros e a participar em concursos literários.

 

______________________________________

 

Livros publicados: “Verdade e Fantasia”, “Para Ti, Criança!”, “No Jardim do Pensamento” e “Poemas de Corpo Inteiro”.

 

 Luís de Melo e Horta

Presidente da Mesa da Assembelia Geral do

Elos Clube de Tavira

publicado por Henrique Salles da Fonseca às 14:44

mais sobre mim
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





pesquisar
 
blogs SAPO