Elos Clube de Tavira

Julho 01 2010

 

 

Armas do 1º Marquês de Cantagalo, João Maria da Gama Freitas Berquó

Fonte : Wikipedia

 

Segundo o historiador e pesquisador faialense Marcelino Lima, fundamentado nos apontamentos de outro historiador açoriano Ferreira Serpa, a família Berquó açoriana teve origem a partir de Jacques Berqüe, cônsul francês na Ilha da Terceira (2/5/1675). Porém em 30/9/1676, por escritura, trocou o cargo com Jean Angel Négre, cônsul francês na Horta. Em 1676, fixou residência na Angustias, como mercador e homem de negócios, como demonstram documentos coevos. Aí casou, constituiu família e foi sindico do Convento de São João (1691 a 1700).

 

Nascido aproximadamente em 1645, na França ( Mont-de- Marsan), era filho do licenciado Jean Bergüe e de Françoise Joye, e neto de outro Jean Bergüe casado com Marguerite Lause. Tinha parentes nas famílias nobres Tastet, de Versois, de Burrios, de Prague. Faleceu nas Angustias (Horta-Ilha do Faial) a 14/10/1715 com testamento (16/8/1710) e codicilos (22/1/1714 e 28/9/1715), onde instituiu um vínculo de morgado que seguiu na linha de seu filho Diogo. À falta de descendentes deste, passaria aos da filha Tereza.

 

Seu filho Antônio Berquó (apelido aportuguesado) foi Deão da Sé de Angra, Ilha da Terceira.

 

Sua mulher, Maria Del Rio, nascida aproximadamente em 1653 e falecida a 20/3/1708, moradora da freguesia das Angustias, na Horta, era viúva do inglês Henri Vicary e filha de Antonio Del Rio (falecido a 1660) e de Izabel Ponal (falecida em 1657), moradores na Horta e de naturalidade desconhecida. Maria Del Rio tinha do seu primeiro consórcio um filho, João Vicary, mais tarde ouvidor da Ilha do Faial, e uma filha, a madre Ana de Santa Clara.

 

Jacques Berquó (nome aportuguesado) teve 6 filhos:

 

Francisco Berquó Del Rio- (nascido nas Angustias a 8/10/1676 e falecido em Angra), clérigo formado em cânones em Coimbra. Foi deão da Sé de Angra (Terceira), onde foi sepultado. Deixou vinhas e casa na região de Caxorro (Ilha do Pico), como vínculo de morgado, a favor do sobrinho, filho da irmã Tereza Clara Del Rio, para servir também de patrimônio a um dos filhos mais velhos deste que, continuando o legado sempre na descendência do dito sobrinho, com a condição de usar o sobrenome Berquó. Caso o sobrinho não possuísse descendência ou filho padre, o vínculo passaria para a sua sobrinha Maria Francisca, sob as mesmas condições. E caso esta não tivesse filhos, iria à descendência das filhas do referido sobrinho, sempre obedecendo às clausulas estipuladas. Estas condições são cifadas na escritura de doação (1762) por João Inácio Borges da Câmara a seu filho José Francisco Berquó.

 

Sebastião, baptizado nas Angustias.

 

Diogo Berquó Del Rio - (nascido a 26/1/1680 e falecido a 7/8/1715 nas Angustias) Casou em Ponta Delgada ( 8/9/1710) com D. Joana Margarida Inques de Mendonça. Fundador da Ermida Nossa Senhora da Pureza, Lagido, no Pico. Uma das suas filhas, Maria Francisca Isabel Del Rio de Vasconcelos Berquó foi administradora do vínculo instituído pelo seu avô e que ficou para seu filho JOSÉ FRANCISCO BERQUÓ BORGES DA CAMARA (1738-1774) nascido e falecido nas Angustias. Segue-lhe o apelido o filho, Capitão de Ordenanças José Francisco da Câmara Berquó (nascido e falecido nas Angustias, 1770-1825). Segue o do mesmo nome José Francisco da Câmara Berquó (1800- 1842). Teve filhos fora do casamento, nas Angustias. Seguiu-o seu filho legitimo José Francisco da Câmara Terra Berquó, último administrador da casa vincular de seus antepassados.

 

Antonio Berquó - (nascido a 28/8/1683 nas Angustias e falecido em Lisboa em 1739), clérigo formado em Coimbra, beneficiado na matriz da Horta em 1709. Deixou 6.000 cruzados à cunhada e sobrinhos (Cartório do 4º Oficio da Horta)

 

Tereza Clara Del Rio - passou o vínculo do irmão Francisco Berquó Del Rio, ao filho Francisco Antonio Berquó da Silveira Pereira.

 

Pedro Berquó Del Rio - Nasceu nas Angustias em 26/4/1691. Foi capitão de Ordenanças.

 

A filha de Jacques Berquó, Tereza Clara Del Rio (1685-1747), teve Francisco Antonio Berquó da Silveira Pereira (Angustias, 1705- Lisboa, entre 1766 e 1779) que lhe deu a neta Josefa Joaquina Maria Ana Berquó da Silveira e Velasco, açafata da rainha D. Maria I e da princesa do Brasil, D. Benedita. Esta senhora casou no Rio de Janeiro com o Juiz de Fora do RJ, José Maurício da Gama e Freitas. Desse casamento houve vários filhos, entre eles:

 

D. Maria Inácia da Gama Freitas Berquó, açafata da rainha D. Maria I, que casou no Rio de Janeiro em 1811, com Matias Antônio de Souza Lobato, escrivão da Câmara Real do Registro Geral das Mercês (RJ) e Senhor de S. João de Rei, 1º Visconde de Magé.

 

D. Maria Carlota da Gama Freitas Berquó, também açafata da rainha, casou no Rio de Janeiro em 1816 com o cunhado Matias Antonio de Souza Lobato.

 

João Maria da Gama Freitas Berquó (Lisboa-1791-1852) - administrador da Casa dos seus antepassados por herança da sua tia D. Tereza Clara Madalena Berquó da Silveira Utra, irmã de sua mãe D. Josefa Joaquina Maria Ana Berquó da Silveira e Velasco, filhas de Francisco Antonio Berquó da Silveira Pereira, foi o primeiro Barão (1825), o primeiro Visconde (1826), e o primeiro Marquês de Cantagalo (1826). Casou pela primeira vez no Rio de Janeiro (1800) com a brasileira natural do Rio de janeiro, Ana Adelaide de Souza Dias dama da Imperatriz D. Leopoldina da Áustria. Casou pela segunda vez, também no Rio de Janeiro com D. Tereza Sminaert Pinto de Souza Caldas, também dama da imperatriz D. Leopoldina. Dentre os seus filhos teve:

 

José Maria Dias da Gama Berquó - nascido em 1825, São Cristóvão ( RJ), foi adido de Negócios Estrangeiros no Brasil.

 

D. Maria Carlota da Gama Berquó - nascida no Rio de Janeiro

 

Rodrigo Maria Berquó- nascido no Rio de Janeiro foi arquiteto e director do Hospital Real de Caldas da Rainha (Portugal).

 

Destes descendem os Berquó que chegaram ao Brasil, dando destaque, como curiosidade a:

 

Pedro Alcântara Berquó - (Rio de Janeiro, 1885-1946) foi director do Jornal O Globo do Rio de Janeiro. Era filho de Luis Maria da Gama Berquó Manoel de Menezes (Lisboa, 1850-Rio de Janeiro- 1913) e D. Florentina Ferreira nascida na Argentina. Neto de José Maria Dias da Gama Berquó.

 

D. Madalena Luisa da Gama Berquó - (Rio de Janeiro, 1892- 1970) irmã de Pedro Alcântara Berquó, casada com Herbert Moses administrador financeiro do Jornal o Globo e presidente da Associação Brasileira de Imprensa.

 

  Maria Eduarda Fagundes

Uberaba, 21/06/10

 

Para saber mais dados e referências: Genealogias da Ilha Terceira, VOL I, (Antonio Ornelas Mendes e Jorge Forjaz) Edição Dislivro Histórica (2007) E-mail: editora@dislivro.pt Famílias Faialenses (Marcelino Lima) 1922 Universidade dos Açores, Ponta Delgada, Ilha de São Miguel

publicado por Henrique Salles da Fonseca às 19:09
Tags:

mais sobre mim
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





pesquisar
 
blogs SAPO