Elos Clube de Tavira

Abril 30 2010

 http://www.teiaportuguesa.com/manual/unidade17lusofonialingua/imagens/lusofonia.gif

 

O Elismo surgiu em 1959 na cidade de Santos, por inspiração, vontade e capacidade de homens de elevados ideais, cresceu, expandiu-se, desde logo no Brasil e a seguir em Portugal, e vive graças ao empenhamento, à persistência e ao elevado espírito de sacrifício de tantos que se comprometeram, comungam e acreditam em ideais de contribuição para a vivência e necessidade de engrandecimento da denominada Comunidade Lusíada.

 

Integrados nesta Comunidade está todos quantos somos portadores de uma específica cultura, defendemos valores e aceitamos princípios que caracterizam povos e homens que durante séculos viveram lado a lado, constituindo politicamente várias nações mas apenas um único Estado.

 

E o elo, o grande e o mais importante elo que a todos nos une e contribui para a existência e plena vivência da denominada Comunidade Lusíada, é a língua, a língua que todos nós falamos e se orgulha de ser uma das poucas línguas que é conhecida e falada habitualmente por muitos milhares de pessoas em todos os continentes, como reconheceu o Parlamento Europeu em 2003 ao declarar que é uma “língua Europeia de comunicação universal.” É, alem disso, a 5ª língua mais falada em todo o mundo, constituindo como que a argamassa, o cimento, a força que une e permite identificar e unir todos quantos a falam, a lêem e a escrevem.

 

Por isso, o património histórico, cultural e linguístico daquilo a que se vem chamando Lusofonia, é a melhor, a mais elevada e a mais significativa expressão que nós Elistas podemos orgulhosamente alardear e patentear perante a Comunidade Internacional.

 

E não podemos esquecer e devemos ter sempre presente que o Movimento Elista teve desde o seu início e tem ainda hoje na sua base, na sua estrutura e como razão de ser e de existir, uma filosofia humanista e como principais objectivos, justamente a defesa da língua portuguesa e da consequente cultura lusíada, enraizada e formatada durante vários séculos nos cinco continentes.

 

Essa filosofia e seus crescentes e significativos objectivos, estão intimamente ligados e seriamente comprometidos com a preservação da identidade nacional de cada um dos povos que integram a Comunidade Lusíada, com total e indiscutível respeito pelas particularidades culturais e típicas de cada um desses povos, como sejam os seus próprios usos e costumes, as suas tradições, a sua própria história e os seus credos religiosos.

 

Aquela defesa da filosofia humanista, a defesa da língua e da cultura lusíada, a defesa dos princípios da tolerância, da compreensão, da aceitação das diferenças, da liberdade e da solidariedade, essa disposição e entrosamento para defender a compreensão e a paz entre todos os homens e todos os povos do mundo, seja qual for a sua cor e a sua religião, tal como se dispõe na sua carta de princípios, é incumbência, é mesmo obrigação que todos nós elistas devemos ufanamente assumir e terá de ser, se não a única, pelo menos a principal razão por que devemos ser sócios de um Elos Clube e devemos, dentro e fora dele, lutar pela efectiva realização desses ideais e desses objectivos.

 

Em tempos da denominada e tão apregoada globalização, em que alguns estão apostados em fazer desaparecer a identidade dos povos e das nações e em que se defende e pretende que uma outra língua venha ocupar o lugar e fazer passar a nossa a língua morta, tudo para que deixemos de ser o que somos e como somos, importa que o Movimento Elista tenha cada vez mais aderentes, prontos e dispostos a defender e a lutar não apenas pela sua própria identidade de pessoas como são e gostam de ser, como também pela identidade das diversas comunidades, povos ou nações em que cada um está inserido, certos de que é a língua portuguesa o elo fundamental que nos une, que unifica todos quantos comunicam entre si, por meio dela, no seu dia-a-dia.

 

A todos aqueles que comungam nestes ideais e nestes valores qualquer que seja o país ou a parte do mundo em que se encontrem, se deixa o apelo de que adiram ao nosso Movimento Elista, seja e principalmente através da inscrição como associado num dos Clubes existentes na cidade ou região em que resida, seja através da realização de diligências tendo em vista a constituição de um novo Elos Clube.

 

Actualmente existem vários Clubes em actividade, tanto no Brasil como em Portugal e pelo menos, um em Moçambique e outro em Macau, no dia 19 de Abril de 2007 abriu solenemente mais um em Portugal, na cidade de Alcanena e estão a ser efectuadas diligências no sentido da constituição de outros, designadamente em Angola e Cabo Verde.

 

 Alcindo Augusto Costa

Presidente do Elos Internacional de 2005 a 2009

publicado por Henrique Salles da Fonseca às 08:52
Tags:

mais sobre mim
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





pesquisar
 
blogs SAPO